Refrigerante: Sempre a Escolha Errada

O câncer de pâncreas é uma das doenças mais mortais. É difícil de diagnosticar, por isso muitas vezes não é encontrado até que está bastante avançado. Ele também se espalha rapidamente, e é notoriamente resistente a muitos dos tratamentos de radiação e quimioterapia atualmente disponíveis. Apenas cerca de 3% das pessoas com câncer de pâncreas vivem mais de cinco anos após o diagnóstico. Apesar do número relativamente pequeno de pessoas que são diagnosticadas, ainda é o quarto câncer mais comum.

Um importante fator de risco evitável para o câncer de pâncreas são as bebidas a base de soda e o consumo de álcool. Vários estudos têm ligado o câncer de pâncreas com o consumo de refrigerante. Um estudo publicado na revista Câncer Epidemiology, Biomarkers & Prevention, um jornal da American Association for Câncer Research, analisou o consumo de refrigerante e risco de câncer de pâncreas em mais de 60.000 pacientes e descobriram que os indivíduos que consomem dois ou mais litros de refrigerantes por semana tiveram um risco maior de câncer de pâncreas em comparação com aqueles que não bebem refrigerante.

Os sinais de alerta de câncer de pâncreas incluem:
– Dor abdominal ou nas costas
– Perda de peso inexplicada
– Problemas digestivos
– Fezes de cor clara
– Icterícia (amarelamento da pele e olhos)
Pense bem! Troque seu refrigerante, mesmo o diet, por água com limão, suco natural (sem açúcar) ou somente a deliciosa e refrescante água mineral!

Dra. Patrícia Alves Soares
Especialista em Nutrição Biomolecular
Especialista em Nutracêuticos
Especialista em Oxidologia