Vai um cafezinho?

Um estudo publicado na revista Nature, uma das mais prestigiadas revistas científicas do mundo, mostra que o consumo de café pode reverter a tendência de inflamações crônicas e doenças cardiovasculares que surgem com o avançar da idade.
Muitos já foram os estudos sobre a contribuição da ingestão de cafeína para a longevidade. Agora, o time de pesquisadores liderados David Furman e Mark Davis, da faculdade de medicina de Stanford, revela uma provável associação entre as doenças decorrentes da inflamação, a longevidade e o café.
De acordo com o estudo, os ácidos nucleicos, moléculas que servem como tijolos dos nossos genes sofrem degradação ao longo da velhice. Os “restos” de ácido nucleico circulando pelo sangue, desencadeia um processo inflamatório que leva a doenças cardiovasculares e outras doenças. Ao injetarem essas substâncias, os “restos” metabólicos em ratos, os pesquisadores verificaram o surgimento de inflamações sistêmicas, aumento da pressão arterial e estragos nos rins, dentre outras consequências.
Curiosamente, os componentes da cafeína bloqueiam a ação de degradação dos ácidos nucleicos. A própria estrutura da cafeína é semelhante à estrutura deles. Assim, o consumo de cafeína reverteria a tendência natural do corpo a inflamações e desenvolvimento de doenças decorrentes do processo inflamatório, principalmente as cardiovasculares.
Para quem não gosta do sabor do café , chá preto e chocolate escuro contêm compostos semelhantes mas não iguais à cafeína, dizem os pesquisadores.
Excelente noticia para quem não dispensa um café.