Resveratrol x diabetes

Proteja seu coração do açúcar

 

A edição de Abril da revista científica internacional Diabetes, Obesity and Metabolism, publicou um trabalho realizado por pesquisadores médicos e bioquímicos de universidades na Inglaterra e em Singapura, no qual o potencial protetor do resveratrol no diabetes foi examinado.

O resveratrol é um composto fitoquímico presente na casca da uva roxa, no vinho, suco de uva e em algumas frutas oleaginosas. O trabalho destes médicos demonstrou que e o resveratrol pode proteger contra danos nos vasos sanguíneos causados pelo excesso de açúcar no sangue em pacientes diabéticos. Níveis elevados de açúcar no sangue, como ocorre no diabetes danifica o funcionamento de uma organela celular conhecida como mitocôndria (funciona como a usina produtora de energia da célula) que utiliza elétrons para produzir oxigênio e combustível para o organismo, mas neste processo gera como resíduo os Radicais Livres (moléculas que tem a capacidade de provocar inflamação e morte celular).

Este processo resulta em lesão micro e macro vasculares, que podem levar as complicações mais conhecidas no Diabetes: nefropatia (lesão renal), retinopatia (cegueira) e neuropatia (demência), além de complicações cardiovasculares como aterosclerose, trombose e como conseqüência o infarto. O resveratrol auxilia como varredor dos radicais livres gerados pelo excesso de glicose no sangue, impedindo que estas substâncias atuem nos vasos sanguíneos, provocando as lesões anteriormente citadas.

Outros compostos antioxidantes como as catequinas do chá verde, o licopeno também conseguem exercer este efeito protetor, entretanto o resveratrol mostrou-se mais incisivo como varredor da espécie de radical livre mais associada com danos vasculares.
Um dado importante, que complementa estas informações é que estas substâncias com capacidade antioxidantes só estão presentes em alimentos para servir como proteção contra a ação de pragas e insetos, e hoje só encontramos quantidades significativas destas substâncias em produtos orgânicos, uma vez que são isentos de proteção externa como agrotóxicos, o que permite que o alimento desenvolva seu próprio defensivo fitoquímico.

O que pode-se concluir com isso é que uma dieta programada para reduzir a quantidade de glicose no sangue e o auxilio de alimentos orgânicos e com potencial antioxidante são uma forma de se melhorar a qualidade de vida dos pacientes Diabéticos.

Dra. Patrícia Alves Soares e Dr. Lupercio Cançado Farah