OBESIDADE Infantil

Por que é tão difícil frear a escalada da obesidade infantil? Já chega a 16,6% o índice de meninos obesos com idade entre 5 e 9 anos e a 11,8% entre as meninas na mesma faixa etária, entre 2008-2009. A título de comparação, em 1974-1975, as taxas eram de 10,9% entre meninos e 8,6% entre meninas. O Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica), de 2015, indica que 8,4% dos adolescentes brasileiros estão obesos e 25,5% dos adolescentes de 12 a 17 anos estão com excesso de peso. O exemplo dos pais e a sofisticação da propaganda de produtos industrializados são os principais entraves para enfrentar o problema. Um ponto fundamental na formação de uma geração que tenha menos problemas com a balança é o exemplo dos pais. A criança precisa ter referências do que é uma alimentação variada e saudável.
Na gestação, deve se ter muito cuidado,o líquido amniótico transfere sabor, então, a criança pode já nascer predisposta a preferir certos alimentos de acordo com a dieta da mãe. É preciso também melhorar a rotulagem nutricional para criar escolhas mais saudáveis, proibir a venda de refrigerantes e outros alimentos ultraprocessados não saudáveis nas escolas e regular a publicidade de alimentos direcionada ao público infantil, para proteger as crianças da exposição a alimentos não saudáveis. Não é a genética que deixa nossas crianças acima do peso, como acreditam alguns, é a herança cultural alimentar que faz a diferença. Faça a sua parte!