O que é a Lipoproteína “A”

Recentemente um artigo do Dr. Sergio Vaisman* foi publicado e a Belight considera que todos que utilizam medicamentos para controle de colesterol devem saber sobre a importância da vitamina B3 encontrada na beringela, do Inositol que pode ser encontrado na beterraba, e da vitamina C. Leia e converse com seu medico sobre isso.

Já ouviu falar em Lipoproteína”A”? Provavelmente você não sabe que se trata de uma proteína ligada a uma substância que faz parte da fração LDL (“mau”, entre aspas mesmo)-colesterol. Níveis elevados de Lipoproteína “A” representam forte fator de risco para doenças cardíacas. Isso já foi muito bem estabelecido, mas pouquíssimos médicos requisitam sua dosagem. A resposta mais clara para essa “negligência” é o fato de que essa substância não é muito difundida entre a classe médica e, quando em níveis elevados, a grande causa pode ser as estatinas(e isso não interessa aos laboratórios).

Para se diminuir os níveis de Lipoproteína”A”, não adianta usar nenhum tipo de estatina (Lipitor, Zocor, Pravacol, Crestor, etc.). A condição principal que pode fazer com que se controle seus níveis é mudança de ESTILO DE VIDA que consiste em recomendações alimentares para controle de taxas elevadas de colesterol, atividade física regular, controle do peso e o uso de NIACINAMIDA (vitamina B3),em doses especificas junto às principais refeições. Como essa dose de vitamina B3 pode causar calor e rubor facial, deve ser prescrita adequadamente com outra substancia denominada INOSITOL, que neutraliza esse tipo de efeito colateral (existem vários produtos como esses na praça) além de vitamina C-1.000 miligramas por dia.

As estatinas (Sinvastatina, Pravastatina, Rosuvastatina, Atorvastatina) raramente significam soluções definitivas para os casos de colesterol elevado. Cerca de 95% das pessoas com esse problema conseguem normalizar suas taxas utilizando alimentação adequada e mantendo atividade física. Os indivíduos beneficiados com as estatinas são aqueles que apresentam níveis de colesterol acima de 350 e são, provavelmente, portadores de hipercolesterolemia familiar (uma forma hereditária).

Outras formas de controle dos níveis de colesterol e frações, incluindo as Lipoproteína”A”, compreendem a utilização de ômega-3,conforme a orientação médica, e o uso sistemático de alho às refeições. Da próxima vez que voce for fazer um check-up clínico, não se esqueça de LEMBRAR seu médico de pedir a dosagem dos fatores de risco preditivos de doenças cardiocirculatórias, tais como Apolipoproteínas A e B, Homocisteína, Fibrinogênio, Proteína C Reativa e Lipoproteína”A”. Se você lembrá-lo disso tudo, ele se preocupará mais em lhe prestar contas adequadamente sobre seu estado de saúde e respectivos riscos.

O maior problema se dará quando os grandes laboratórios fabricantes das estatinas descobrirem que os médicos já estão sabendo disso.

*Sérgio Vaisman é médico, especialista em Cardiologia e Nutrologia e se dedica à prática de Medicina Preventiva há vários anos, enfocando o processo do envelhecimento e suas consequências, procurando alcançar as fórmulas mais adequadas para a prevenção dos processos degenerativos que acompanham o fenômeno do envelhecer. Além disso, ressalta a saúde dentro do ambiente tóxico do mundo moderno e como se deve agir para a manutenção de um estilo de vida adequado. É professor de pós-graduação nas áreas de Bioquímica e Biomolecular, autor de várias publicações científicas, palestrante em cursos, congressos, simpósios, empresas e escolas, além de membro de várias associações científicas nacionais e internacionais. Profere aulas em Universidades de Portugal e Itália. Comentarista e consultor de saúde em vários veículos de comunicação. Autor do livro MULHERES E SEUS HORMÔNIOS – Uma Forma de Retardar o Envelhecimento.