Nutrientes contra Alzheimer

O periódico científico Journal of Alzheimer’s Disease publicou neste mês uma pesquisa com resultados positivos na utilização de uma fórmula de nutrientes desenvolvida por Richard J. Wurtman, PhD e seus colegas para ajudar a tratar a doença de Alzheimer. A fórmula, que contém colina, uridina (um componente de RNA encontrado no tomate e outros alimentos) e do omega-3 ácidos graxos ácido docosahexaenóico (DHA), suscitou benefícios em uma investigação prévia em humanos, bem como em estudos envolvendo gerbilos e ratinhos .

Para o estudo atual, uma equipe liderada por Philip Scheltens, da VU University Medical Center, em Amsterdam administraram formulas contendo um placebo e outra formula contendo colina, uridina e DHA para 259 homens e mulheres com a doença de Alzheimer leve por 24 semanas. Testes de memória, de função e avaliações de eletroencefalograma (EEG) foram realizadas no início do estudo em 12 semanas e na conclusão da pesquisa. Uma melhoria nos resultados dos testes de memória foi observada entre os que receberam a fórmula de nutrientes em comparação com o grupo de controle que recebeu placebo, ao longo do estudo. Padrões de Eletroencefalografia normalizado entre o grupo suplementado, sugeriram uma melhora na função sináptica.

“Você quer aumentar o número de sinapses, não retardando a sua degradação – embora, é claro que você gostaria de fazer isso também -, mas sim pelo aumento da formação de sinapses”, declarou o Dr. Wurtman. Ele observou que pesquisas envolvendo indivíduos com doença mais avançada não encontrou um benefício para a combinação de nutrientes, provavelmente porque os pacientes perderam mais neurônios, o que diminui a capacidade de formar sinapses. O coquetel nutricional está atualmente sendo testado em homens e mulheres com transtorno cognitivo leve.

Substâncias simples como tomate, gema de ovo, e os peixes ricos em omega 3 quem compoem este mix de nutrientes devem ser regularmente consumidos não só por aqueles que estão com diagnóstico de Doença de Alzheimer, mas por qualquer indivíduo que vem observando uma redução da memoria de curto prazo ou fadiga mental. Especialmente o omega 3 já vem sendo apontado ha muitos anos como um grande nutriente do cérebro e das céluls nervosas, seu consumo entretanto ainda é de difil organização uma vez que os peixes que consumimos normalmente tem pouca ou nenhuma quantidade deste acido graxo.
Dr. Memeth Oz, grande cardiologista americano, vêm falando desde 2004 da importancia da suplementação do omega 3 para tratamento não só de problemas cardiovasculares, mas para saude do cérebro.
Qual qualidade de suplemento usar, a dosagem correta, horários e formas de administração devem ser orientadas pelo seu Nutricionista Be Light.

Dra. Patrícia Alves Soares
Especialista em Nutrição Biomolecular
Especialista em Nutracêuticos
Especialista em Nutrição Ortomolecular